quarta-feira, 30 de março de 2011

Estou de saco cheio

Escrever lixo
Disfarçado de poesia

Vou tentar um conto
Disfarçado de entulho

Cheio de barulho
E gente morta

Um quebra cabeça,
Sim um conto é.

A poesia lixo
É quebra alma
Tormento
Arrebento

É quase morte
É quase nascimento

Ô inferno!
Ô paraíso!

Como eu gosto disso
Mesmo que farto
Em duplo sentido.

Seguir por Email