quarta-feira, 30 de março de 2011

Ou isto ou aquilo

Ou isto ou aquilo
Ou coisa nenhuma
Eu quero qualquer coisa
Quero aquela
E daquela um pouco
Ou tudo isto
E tudo aquilo
Tudo disto e do mais só um pouco.

Não afronto Cecília,
Quem sou eu para querer isto?
Lembro-me bem
Quando vi a coleguinha
Com aquele livro: Ou isto ou aquilo.
Oito anos de idade.
--Mamãe eu quero ISTO.

E então dentro de mim nasceu
A vontade da poesia.

Até hoje não sei dela nada
Sei ler é só Caeiro
Agora eu quero Cecília, Adélia e Flora
E quero também Cora
E Cesário bem maduro.

Ou isto ou aquilo?

Hoje quase quarenta!
E continuo querendo a mesma coisa
Se é isto ou aquilo não sei não.
Mas isto eu quero muito
E aquilo quero demais.

Seguir por Email