terça-feira, 9 de agosto de 2011

Desejo é veneno

Alguns deles matam
Outros somente necrosam

Ser entregue à sorte
Do portentoso e coriáceo

Inquebrável o pote que o contém
Inabalável o mote que advém

É vaso de sangue ausente
Anseio inconsistente
Indesejável resultado
Não presente, ainda por vir

Se sorte houver
Talvez prazer
Lamentado o não realizado

Sofrer enquanto espera
Sofrer se não houver feito
Sofrer quando acabado
Sofrimento há de ter
De qualquer jeito
Seja desejo feito, mal feito ou...
Satisfeito torna-se fardo
Troca-se o almejado.
Insatisfeito agora
Com o dantes desejado

Veneno espesso
De serpente vertido.
De repente morrido.

Viver desejo é sofrer à sorte do sabe-se lá o quê.
Melhor desejo é decidir não tê-lo.

Seguir por Email