quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Grávida

Vejo-te e caminhas
Andar de esperança
Que sejam minhas
Tu e a bela criança.

Rebento vindouro
Surgido de momento
Dum grande estouro
De vultoso sentimento

Cuidado em ter-te
Agora, resta-me espera.
Agrado-me ao ver-te
Como flor em primavera

Surge nova formada
Teu corpo em frente e verso.
A traseira transformada
Meu olhar, nunca disperso.

Estarei contigo, presente.
Barriguda, de seios inchados.
Como mãe, meu ser não sente.
Dedicação e amor doados.

Seremos por hoje apenas
Uma família simples de dois
De almas não pequenas
Para ser de três depois.

Seguir por Email