segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Torna-me


Empresta-me teus ouvidos
Para dizer-te sobre o que não quero
Sobre as mentiras que pairam no ar
E as incertezas que desaguam no mar

Toma-me pelas mãos e guia
Em direção aonde não quero ir
E entorna doçuras em meus ouvidos
Desta tua boca que diz muito
Quando cala
Deste teu silêncio que ensurdece
Quando cala

Sou eu sem me pertencer
Sou meu sendo teu
E eu não sou nada
Além de mim
Da vontade de ser-te eu
Tu
Em ti, eu tornar-me.

Seguir por Email