sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Os sonhos e o vento


De qualquer forma o vento sopra
Revelam-se então teus traços perfeitos
Coincidentes com meus desejos imperfeitos

De qualquer forma o vento passa
Revelam-se porem poeira e areia deixadas
Na estrada dos sonhos sem fim

De qualquer forma o vento derruba
Revelam-se então árvores sem folhas
Todas ao lado dos desejos e sonhos
Deixados caídos e não vividos

Seguir por Email