quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Ver-te chorar



Entristece-me ver-te assim
Pobre de mim, minh’alma padece
Não pelo fim, mas ao que parece
Insolúvel
Um dilúvio, enfim alívio

Chora e não diz nada
Abraça-me apenas
Evidente impotência, emudeço.

No silêncio
Permanece abraçada
E chora...



Seeing you cry


It saddens me
Seeing you this way
Miserable me
Suffer in pain, my soul
Not for the reason, the end
But what it seems
Unsolvable
Comes a flood
Finally relief

Just cry, no words needed
Simply hold me
In my evident inability
I struck dumb.

In silence
Remains in embrace
And cry...

Seguir por Email