sábado, 2 de fevereiro de 2013

Sobre meus versos

I-

Versos vividos
Versos fingidos
Versos sonhados

Não importa,
Escrever é a lei!

II-

Quero versos livres
Simples e claros
Sem dor
Sem excesso

Quero versos livres
Sem raciocínio
Sem lógica
Descomplicados e límpidos

Quero versos livres
Livres
Livres
Livres de mim
Da minha tristeza

Mas que todos permaneçam trancados em meu caderno.

III-

Uns versos vermelhos
De pena exangue
Extravasam constantemente
Outros versos ardentes
Da pena de Fênix.

Extinguem momentaneamente versos coxos
De um arremedado desejo parnasiano

Aqueles mal escritos
De meias palavras
De nenhum entendimento

O verso
O reverso
O sentido
O indesejado avesso ao verso do verso

Seguir por Email