domingo, 19 de junho de 2011

Noite no bosque

Lembro-me bem
Aquela noite escura
No bosque
Não tão escura assim
Uma lua, toda nua
Uma trilha percorrida
Tua pele sentida
Tocada na minha
As mãos dadas

Ambos perdidos
Caminhantes errantes
Rastro deixado
De andar pisado
Passos curtos
Passos largos

Uma noite
Em bosque enevoado
Somente um luar
Envenenado
Por um desejo
Imerecido e louco
Encontrar um caminho
De volta, sem voltas

Lembro-me bem
Daquela noite escura
Enevoada
Num bosque
Não um qualquer
Onde só havia
Malmequer
Sem caminho
Curto ou longo
Só desvios
Extravios
Dois vadios...

Seguir por Email